Menino de rua tem o corpo queimado no Rio

O menor de rua Maurício Neves da Silva, de 13 anos, teve 40% do seu corpo queimado hoje de madrugada enquanto dormia na Praça Serzedelo Corrêa, em Copacabana, na zona sul. O crime teria sido cometido por outro menor de rua, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública. Silva foi atingido no pescoço, tórax, rosto, nas costas, além de braços e mãos. O estado de sáude dele é grave, apesar de estar lúcido. O menor dormia junto a um grupo de meninos na praça, quando foi atacado. Um outro menor teria jogado tíner (solvente de tinta) sob o seu corpo e depois ateado fogo. Silva chegou a correr em busca de socorro, por volta das 4 horas da manhã de hoje, mas não conseguiu suportar a dor e caiu desacordado na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, uma das principais vias do bairro. Segundo a polícia, foram encontrados tíner e cola de sapateiro, que são usados como entorpecentes pelos menores de rua, próximo do local onde eles dormiam.Em seguida, o menor foi socorrido e levado por bombeiros para o Hospital Miguel Couto, na Gávea (zona sul), onde foi submetido à cirurgia de "desbridamento", que consiste em retirar a pele queimada para não infeccionar. Apesar das queimaduras, Silva prestou depoimento à polícia e recebeu a visita do juiz titular da 1ª Vara da Infância e da Juventude, Siro Darlan. O caso está sendo investigado pela 12ª Delegacia Policial (Copacabana). A polícia trabalha com a hipótese de briga entre menores de rua, mas ainda não tem nenhum suspeito. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, Silva estava sob efeito de entorpecentes na hora em que foi atacado.A secretaria municipal de Desenvolvimento Social informou que uma técnica irá ouvir o menino a fim de buscar informaçõessobre a sua história e de sua família.

Agencia Estado,

03 de janeiro de 2004 | 12h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.