Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Menino queimado em terreno contaminado transferido para SP

O menino João Pedro Teodoro da Silva, de 8 anos, que teve 45% do corpo queimado após pisar em um terreno contaminado com produtos químicos, foi transferido hoje para o Hospital das Clínicas em São Paulo, onde existe um centro para tratamento de queimaduras. Ele estava internadoem Barra Mansa (sul fluminense), onde mora, desde sábado, quando sofreu o acidente. Dois amigos que brincavam com João no local se feriram sem gravidade.Em contato com qualquer objeto ou pessoa, a terra explode e provoca fogo. Ainda não se sabe que substâncias causaram osferimentos. Mesmo após a chuva de anteontem ainda existiam focos de fumaça no terreno contaminado.Desde que foi hospitalizado, João passou por quatro cirurgias para retirada do tecido morto. Segundo a cirurgiã plástica Deyse Cunha de Araújo, o HC de São Paulo oferece melhores condições para a reabilitação dele. ?O hospital tem um banco de pele, um centro para tratamento de queimados e é referência nacional. Ali, ele vai ter acesso ao que há de melhor.? Deyse informou que as queimaduras de João, concentradas nas pernas e pés, são de terceiro grau e os médicos devem fazem enxertos. Ela explicou que pequenos fragmentos da pele do menino serão retirados e cultivados até que ganhem o tamanho ideal para cobrir a área lesada.A técnica chama-se cultura de queracinócitos. Enquanto isso, para que as feridas não fiquem abertas antes do enxerto, elasserão cobertas com a pele de rã que é tratada no banco de peles do HC. A estimativa é de que João fique internado por mais de 40 dias. A hipótese de amputar as pernas, antes levantada pelos médicos, foi descartada hoje, por enquanto. A Fundação Estadual de Engenharia do Meio ambiente (Feema) recolheu amostras do material e deve divulgar o resultado dolaudo nos próximos dias. Técnicos do órgão afirmam não saber que substância causou a combustão. Moradores de Barra Mansadisseram que, há mais de 20 anos, o local foi usado como depósito de resíduos químicos.

Agencia Estado,

06 de julho de 2004 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.