Menor envolvido na morte de Eliza continuará internado

Jovem que assumiu participação terá de cumprir medida socioeducativa por tempo indeterminado

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

09 de agosto de 2010 | 15h19

SÃO PAULO - A Vara da Infância e Juventude de Contagem, em Minas Gerais, aplicou medida socioeducativa ao adolescente J. de 17 anos, primo do goleiro Bruno Souza, por envolvimento no desaparecimento e na morte de Eliza Samudio, ex-amante do atleta. A decisão do juiz Elias Charbil Abdou Obeid é de sexta-feira, 6, mas foi divulgada apenas nesta segunda-feira, 9.

 

Veja também:

Amante de Bruno deixa hospital e médicos não sabem se ela abortou

 

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), o menor terá de cumprir medida socioeducativa por tempo indeterminado por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado. Apenas a representação feita pelo Ministério Público sobre ocultação de cadáver não foi julgada procedente, pois o juiz considerou que não havia provas de que o adolescente tenha participado do ato.

 

Segundo o magistrado, apesar de inexistir nos autos laudo de exame de corpo de delito ou laudo de necropsia da vítima, "a prova da materialidade se deu de maneira indireta, por meio lícito e idôneo, como a confissão do próprio adolescente."

 

O jovem de 17 anos será reavaliado a cada seis meses. Ele continuará internado no Centro de Internação Provisória do Horto até que a Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas (Suase) libere uma vaga para sua transferência. J. está no local desde o dia 13 de julho.

 

Eliza desapareceu no início de junho, quando tentava provar na Justiça que Bruno é pai de seu filho. O primo de Bruno afirmou à polícia que a jovem foi assassinada.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Bruno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.