Menores encerram rebelião na Febem de Bauru

Terminou no meio da madrugada desta terça-feira, a primeira rebelião de menores da Unidade da Fundação Estadual para o Bem-Estar do Menor (Febem), de Bauru, na região noroeste do Estado de São Paulo. Os 47 menores resolveram voltar aos seus respectivos alojamentos depois da chegada de um juiz corregedor na unidade. O tumulto começou por volta das 20h30 de ontem, depois que dois adolescentes discutiram com um dos monitores. Outros seis menores foram em apoio aoscolegas e feriram, sem gravidade, o monitor. Os demais adolescentes ouviram a discussão e deram início à rebelião, mas não fizeram refém o funcionário da unidade, que conseguiu escapar a tempo. Os menores destruíram moveis e confeccionaram armas usando pedaços de madeira e de ferro de armários e grades. Tudo foi apreendido pela Polícia Militar, que cercou a Febem durante todo o tempo em que os menores estavam rebelados. Nenhum menor será transferido por enquanto, pois a unidade não enfrenta superlotação segundo o delegado de Baueu Marcos Jeferson. Estréia - Esta é a primeira rebelião registrada na unidade. Desde seu anúncio, a Febem de Bauru, construída para abrigar 72 internos, enfrenta rejeição. Primeiro a cidade fez tudo - inclusive uma lei municipal - para impedir sua instalação. A população de bairros próximos realizou manifestações, e a própria Justiça local fez exigências adicionais ao projeto básico para permitir a internação de menores.

Agencia Estado,

19 de novembro de 2002 | 05h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.