Menores fazem duas rebeliões na Febem de Ribeirão Preto

Fugas, recapturas, funcionários feitos reféns, duas rebeliões, invasão da PM, alguns menores infratores feridos levemente e parte dasinstalações depredadas.Esses foram os fatos ocorridos entre o final da tarde deste domingo e a madrugada desta segunda-feira, na Unidade de Internação (UI), a parte mais antiga - existem outras duas unidades ao lado - da Febem de Ribeirão Preto.Dos cinco menores que fugiram, três foramrecapturados. Houve negociação durante horas entre internos e a direção da unidade, mas o tumulto só terminou mesmo com a entrada da PM no prédio, após a segunda rebelião.A confusão na Febem começou com a fuga de cinco menores dos pavilhões 1 e 2. Após a chegada dos três recapturados, três funcionários foram feitos reféns e colchões foram queimados para impedir a entrada da PM. Bombeiros e PMs estiveram no local, e o tumulto terminou. Porém, logo depois iniciou-se outra rebelião, nos pavilhões 5 e 6.Para encerrar a confusão, a PM local, autorizada pelo comando de São Paulo, fez a intervenção, precisando usar explosivos, em cinco ocasiões, para abrir as portas das alas.Dos 36 internos, apenas seis participaram do tumulto, sendo que os demais não aderiram, segundo o diretor da unidade, Eduardo Luiz Vianna.O capitão da PM, Salvador Loureiro, que comandou a operação, informou que as explosões foram necessárias para abrir as portas. Segundo ele, as partes elétricas e hidráulicas foram destruídas.Os internos tiveram que ser remanejados para outros pavilhões. Uma revista foi feita na manhã desta seguna-feira. Não foi a primeira ocorrência grave na Febem de Ribeirão Preto nos últimos dias.Na quinta-feira, um rapaz de 19 anos tentouresgatar menores da mesma unidade com uma arma de brinquedo. Os internos recusaram-se a fugir, e o jovem, ex-interno da Febem, foi preso. Em janeiro também houve problemas e depredações na unidade, além de 14 fugas. A ocorrência mais grave, porém, ocorreu em 1999, com 53 fugas e um interno morto por um colega.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.