Menores infratores fazem rebelião por um refrigerante melhor

Durou mais de 3 horas a rebelião dos 98 internos infratores da Unidade Educacional 22 da Febem (Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor), localizada na altura do km 20 da Rodovia Raposo Tavares, na divisa entre a capital paulista e a cidade de Osasco. Às 2h20 da manhã desta quarta-feira, cerca de 30 homens do Batalhão de Policiamento de Choque invadiram a unidade e liberaram os 5 monitores que ainda eram mantidos reféns pelos amotinados.A rebelião começou depois que os adolescentes tomaram as chaves de alguns monitores, os fizeram reféns e passaram a ter controle total dos 10 dormitórios. Eles atearam fogo em colchões e cobertores. Uma hora depois do início do motim, um dos seis monitores foi solto. Um deles foi ferido em um dos braços por uma pedrada; os demais passam bem.Uma das reivindicações dos rebelados era a distribuição de refrigerantes de melhor qualidade durante as refeições. Eles também pediam para não usar uniformes, terem direito a visitas íntimas e a garantia de que, após o termino do motim, nenhum deles seria transferido para as unidades de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, onde estão os adolescentes e jovens mais perigosos do Estado. As exigências serão discutidas nesta quarta-feira, segundo a direção da unidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.