Menores são explorados em trabalho doméstico no MA

Um estudo do Centro de Defesa Padre Marcos Passerine constatou que pelo menos 130 crianças trabalham em casas de famílias dos principais bairros de São Luís (MA). Segundo o estudo, 53,1% dessas crianças são de famílias de baixa renda e 57,7% são negras. Uma campanha para combater a exploração de crianças e adolescentes no Estado foi lançada pelo Centro.De acordo com o Sindicato dos Empregados Domésticos, o número de crianças e adolescentes que trabalham em casas de famílias na capital maranhense é incalculável. Em média, 15 adolescentes procuram ajuda a cada ano para conseguir os direitos trabalhistas. Em geral, são meninas que vem do interior do Estado em busca de uma vida melhor. A promessa de estudo é o principal atrativo mas quase sempre elas encontram outra realidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.