Mensagem escrita em vermelho liga atentado ao PCC

Frases escritas em vermelho, num pano branco do tamanho de um lençol, atribuem à organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) o atentado a bomba que feriu cinco pessoas, às 17h15 horas de hoje, em frente à Secretaria da Administração Penitenciária, em São Paulo. "Oprimidos contra opressores. Se não parar com os maus tratos contra a comunidade carcerária, se não continuarão os ataques (sic)", diz o texto, assinado por uma suposta Diretoria do PCC.O secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furokowa, afirma que o texto deixado no pano é quase igual, "inclusive com os mesmos erros de português", de um bilhete deixado dentro do carro onde foi encontrado morto, há dez dias, um agente penitenciário do presídio de São Vicente, no litoral paulista. O pano com o texto em vermelho foi jogado junto com a bomba, em frente ao prédio da Secretaria, por dois ocupantes de um Santana preto.Furokawa disse que "ainda é cedo" para garantir que o atentado foi realizado pelo PCC. "Temos que investigar. Pode ser que outra pessoa tenha feito o atentado e atribuído ao PCC", disse ele.Integrantes do esquadrão anti-bomba do Grupo de Ações Especiais (Gate), da Polícia Militar (PM), encontraram junto com os fragmentos da bomba uma peça de granada - "um pequeno detonador", explicou o secretário -, o que reforça a hipótese de que a explosão tenha sido provocada por uma granada, e não por uma bomba caseira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.