Mentor de incêndio em ônibus no Rio se entrega à polícia

No início da madrugada desta quinta-feira, o traficante Anderson Gonçalves dos Santos, conhecido como "Lorde", entregou-se à polícia no plantão do 59º Distrito Policial, de Caxias. O criminoso é acusado de ser o mentor do ataque ao ônibus 350, que fazia a linha Passeio-Irajá, no bairro da Penha, zona norte do Rio, na noite de 29 de novembro do ano passado, no qual cinco pessoas morreram incendiadas.Naquela ocasião, um grupo de 8 criminosos atirou contra o coletivo dois coquetéis molotov. Ao se entregar, Lorde alegou estar sofrendo pressões da família e ter medo de morrer. A advogada do traficante, Claudinéia Soares, disse que o cliente dela negou ter qualquer participação no ataque. Por medida de segurança, ele passará a madrugada no gabinete do delegado, que o apresentará hoje à Justiça.Uma adolescente de 13 anos, acusada de participar do ataque, havia dito em depoimento à polícia que a ação fora comandada por Lorde, em represália à morte de um comparsa durante uma investida de policiais militares em um morro da região. Segundo a menor, o crime foi planejado horas antes do ataque, numa reunião onde todos estavam sob efeito de drogas como maconha e cocaína.Além dos cinco mortos, entre eles uma criança de um ano e dois meses, o ataque incendiário ao ônibus deixou outras 12 pessoas feridas e com queimaduras em várias partes do corpo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.