Mercadante defende que SP adote modelo do ProUni

Na TV, petista destaca o Programa Universidade para Todos, tentando colar sua imagem à de [br]Lula no horário eleitoral

Bruno Tavares, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2010 | 00h00

O programa eleitoral do candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, fez ontem à noite na TV críticas às Escolas Técnicas Estaduais (ETECs). "Elas são boas, mas para poucos", assinalou o candidato petista.

Em mais uma tentativa de colar sua imagem à gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, estratégia que segue desde o início da propaganda eleitoral gratuita, na terça-feira, Mercadante defendeu que São Paulo adote na esfera estadual o modelo do ProUni, o Programa Universidade para Todos, instituído pelo governo federal em janeiro de 2005. Mercadante frisou que o ProUni já "beneficiou 760 mil alunos" no País.

O ProUni tem como finalidade conceder bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação em instituições privadas de ensino superior. A seleção dos participantes tem como critérios a análise do perfil socioeconômico do candidato e resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As universidades participantes recebem benefícios fiscais.

A proposta de Mercadante de criar um ProUni estadual não é nova. No final do ano passado, a Assembleia Legislativa do Rio aprovou projeto que instituía o programa no Estado. Deputados do Ceará também já propuseram um projeto de lei para o ProUni-CE. Ambos Estados são governados por aliados de Lula.

Além do ProUni, Mercadante citou outros programas sociais lançados pelo governo Lula, como o Luz Para Todos, Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida.

Confiança. No vídeo de Mercadante, gravado diante de uma ETEC, o candidato petista apareceu "entrevistando" uma estudante beneficiada pelo ProUni nacional. A jovem, identificada como Camila, diz que sempre estudou em escola pública e só ingressou na universidade graças ao programa do governo Lula.

A peça publicitária do petista também voltou a reprisar depoimentos de Lula, intercalado-os com falas do candidato. "Mercadante é, sem dúvida, uma das pessoas mais preparadas do País", afirmou Lula. "Eu gostaria muito que você depositasse no Mercadante a mesma confiança que eu depositei. O Mercadante vai saber fazer em São Paulo o mesmo que eu fiz no Brasil." Lula arrematou dizendo: "Pedi a ele (Mercadante) pra ser o meu candidato ao governo de São Paulo, porque eu sei que ele tem o perfil que São Paulo precisa para voltar a crescer no ritmo que o Brasil está crescendo hoje."

Mercadante, por sua vez, disse ter orgulho da amizade de 30 anos com Lula. "Ter liderado o governo Lula ao longo desses oito anos no Senado foi uma experiência muito marcante na minha vida", destacou.

Os programas de Mercadante no rádio e na TV têm focado pontos considerados "críticos" das administrações tucanas em São Paulo, como o preço dos pedágios, o ritmo de construção do Metrô e violência nas escolas. Para aumentar a exposição de seu candidato ao governo, o PT também tem usado falas de Mercadante no horário reservado aos deputados da coligação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.