Mercadante: denúncias da IstoÉ são graves e precisam ser apuradas

O senador Aloizio Mercadante, candidato do PT a governador de São Paulo, disse neste sábado, durante atividade de campanha eleitoral na Vila Maria, zona norte da cidade, que as acusações publicadas pela revista IstoÉ neste fim de semana são graves e muito semelhantes àquelas feitas a deputados e senadores envolvidos na chamada máfia dos sanguessugas (compras superfaturadas de ambulâncias). A revista IstoÉ traz uma entrevista com os donos da Planam, Darci Vedoin e seu filho Luiz Antonio Vedoin, acusando o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, José Serra, de ter participado do esquema quando era ministro da Saúde do Governo Fernando Henrique Cardoso. Mercadante afirmou que continuará dando direito de defesa ao seu adversário. Entretanto, defendeu apuração dos fatos desde o governo passado. "É evidente que tudo começou no governo anterior, tem de ser apurado."O candidato do PT também comentou sobre a prisão, pela Polícia Federal em Mato Grosso, de Luiz Antonio Vedoin e seu primo, Paulo Roberto Trevisan, acusados de intermediar venda de material e documentos (entre vídeo, DVD, fotos e agendas) ligados ao esquema dos sanguessugas. Foram presos também Valdebran Carlos Padilha da Silva, que seria ligado ao PT do Mato Grosso e o advogado Gedimar Pereira Passos. Ambos, segundo a polícia, seriam os receptadores do material, em cujas imagens apareceriam José Serra (à época ministro da Saúde) discursando numa cerimônia de entrega de ambulâncias e o candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, além de outros políticos. Mercadante disse "repudiar essa atitude", referindo-se à negociação de material que poderia ser usado para chantagem. "Acho que isso não condiz com a via democrática."O senador petista afirmou que não mudará sua campanha eleitoral por conta dessas denúncias e que confia no crescimento das intenções de voto em sua candidatura. "Minha campanha é a que mais cresce e estamos num ritmo muito forte na chegada." O candidato do PT cancelou a carreata que estava prevista para a manhã deste sábado pela ruas da Vila Maria, por causa da chuva. A agenda de Mercadante para o período da tarde ainda não está confirmada. Ele faria outra carreata pelas ruas da Lapa, Freguesia do Ó e Vila Brasilândia, mas a chuva pode atrapalhar a programação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.