Mercadante já articula apoio para se candidatar

Após conversa com ex-prefeita Marta Suplicy, senador se encontra com deputados Celso Russomanno, do PP, e Paulinho da Força, do PDT

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

16 de março de 2010 | 00h00

Amplamente anunciado por colegas de partido como o novo nome do PT para o governo de São Paulo, o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) já começou discretamente a articular apoio para sua campanha ao Palácio dos Bandeirantes. Por enquanto, ele não toca no assunto em público, nem formaliza sua intenção de disputar. Ainda assim, o parlamentar dedicou os últimos dias a conversas com líderes petistas e potenciais aliados.

Somente na semana passada, enquanto ainda se recuperava de uma cirurgia na próstata, Mercadante teve pelo menos três reuniões para discutir a corrida estadual. A mais aguardada era com a ex-ministra do Turismo e ex-prefeita Marta Suplicy, que aconteceu no meio da semana. Depois disso, ele se encontrou com os deputados Celso Russomanno (PP-SP) e Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP).

À frente de um dos principais grupos políticos do PT paulista, Marta deverá ficar com a cadeira de Mercadante para a disputa no Senado, assim que ganhar caráter oficial o novo projeto do PT para a eleição paulista. Entre os pontos discutidos no encontro estava a possibilidade de um acordo para definir quem terá prioridade na condução do processo eleitoral de 2012.

No caso do PDT, dizem petistas, a preocupação é acalmar os ânimos de setores que ameaçam desistir da aliança com o PT. Há algumas semanas, começaram a ganhar força as queixas da legenda pela demora na definição do destino político do deputado Ciro Gomes (PSB).

Já a conversa com Russomanno aconteceu na sexta-feira. Na ocasião, Mercadante também debateu a possibilidade de uma aliança. O deputado, pré-candidato ao Palácio dos Bandeirantes, limitou-se a confirmar que está negociando com o PT. "As conversas de fato existem e estão avançando. Até porque sou o único nome do PP colocado para a vaga", declarou Russomanno.

Acertos. No PT, a preocupação agora é afinar os detalhes para formalizar a chapa. Além de aguardar a conversa final que Ciro terá com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em abril, petistas planejam uma espécie de encontro de cortesia com outros pré-candidatos.

Na lista, está o senador Eduardo Suplicy (SP), que recolheu assinaturas de 1% dos filiados do PT no Estado e registrou no Diretório Estadual sua pré-candidatura. Ou ainda o prefeito de Osasco, Emidio de Souza. Este último já planeja um encontro com aliados para tratar da sucessão estadual.

Apesar das formalidades, petistas anunciam abertamente a candidatura de Mercadante. Aliados de Marta, por exemplo, não disfarçam a satisfação em vê-la posicionada para disputar o Senado. "É a chapa mais forte que temos. A proposta está pronta e agora vamos acertar os detalhes para formalizá-la", disse o deputado Carlos Zarattini (SP).

NEGOCIAÇÕES

CELSO RUSSOMANNO

DEPUTADO PP-SP

"As conversas de fato

existem e estão avançando.

Até porque sou o único

nome do PP colocado

para a vaga"

CARLOS ZARATTINI

DEPUTADO PT-SP

"É a chapa mais forte

que temos. A proposta

está pronta e agora

vamos acertar os detalhes

para formalizá-la"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.