Mercadante recebe apoio de Vanderlei Luxemburgo

Em seu primeiro dia de campanha oficial, o candidato ao governo do Estado pelo PT, senador Aloizio Mercadante, prometeu acabar com a Febem, acirrou as críticas à aliança PSDB-PFL tentando trazer seu principal adversário, o ex-prefeito José Serra para a disputa. Após um almoço com militantes, Mercadante ainda recebeu apoio oficial de Vanderlei Luxemburgo, técnico do Santos Futebol Clube, para sua campanha, no prédio histórico da Bolsa do Café. "Não existe meio apoio. Apoio é integral e o meu para o Aloísio Mercadante", anunciou o mais novo cabo eleitoral do candidato petista. "Hoje estou aqui para falar de política", complementou Luxemburgo. Mercadante lançou provocações ao rival, lembrando que Serra deixou a Prefeitura de São Paulo, mesmo com a promessa escrita de que cumpriria todo o mandato e insinuando que o ex-prefeito ainda não aceitou o fato de ter sido preterido pelo PSDB na disputa presidencial."Espero que meu adversário (Serra) pare de disputar com o Alckmin a condição de candidato a presidente", provocou o senador ao ser perguntado sobre o que mudaria com a liberação da campanha. "Ele não discute São Paulo", prosseguiu. "O partido dele não quer ele para presidente, mas ele continua insistindo. Ele anda muito nervoso; precisa se acalmar e debater São Paulo."Mercadante deu mostras de que vai usar, exaustivamente, a crise de segurança provocada pelo PCC, em maio, para atingir o PSDB e usar a gestão do presidente Lula para alavancar seu nome. "A segurança pública no Estado está uma calamidade. Representa os 12 anos de tremendo fracasso do PSDB e PFL, em São Paulo", discursou, na Praça Mauá, no centro histórico de Santos. O senador escolheu a cidade para iniciar sua campanha por ter nascido lá e por ser torcedor do Santos. "Sei que há forças conservadoras do PSDB que vão estremecer com o que eu vou dizer agora", continuou o senador. "Nós vamos acabar com a Febem, sim. Todos os outros Estados acabaram e nós vamos acabar também", prometeu. Cercado por deputados e militantes locais, elogiou os programas de Lula, em especial os benefícios federais trazidos para Santos, como a Unifesp e a instalação da unidade de gás da Petrobrás na Baixada Santista. Um grupo de cerca de 200 pessoas acompanhou uma breve caminhada de Mercadante pelo centro. Com bandeiras, camisetas e bonés do PT, viam passivamente o senador abordar lojistas e pedestres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.