Mercadante reforça crítica a gestões tucanas

Candidato ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante (PT) subiu o tom das críticas contra a gestão tucana, ontem. Prometeu acabar com a progressão continuada na educação e comparou o sistema de promoção de professores por mérito, criado na gestão tucana, a um "pau de sebo". "Só 20% se beneficia e quando isso ocorre só pode receber novo bônus quatro anos depois. É como um pau de sebo. Ele nunca chega ao topo", disse.

Adriana Carranca, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2010 | 00h00

O candidato acusou, ainda, a gestão tucana de barrar projetos federais por questões políticas. "São Paulo não participa do Saúde da Família, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ou das Unidades Básicas, cujo orçamento da União é complementado pela administração municipal. O governo paulista, aliás, é o único entre os Estados que não tem parceria com o governo federal nesses programas", disse.

Em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, Mercadante disse que o principal rival, Geraldo Alckmin (PSDB), "não vai para as ruas para não ver a insatisfação do povo". O candidato participou de sabatina do UOL e do jornal Folha de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.