Mercado doméstico ajuda e demanda da Gol salta 16,2% em julho

A Gol registrou um salto de 16,2 por cento na demanda total por seus voos em julho em relação ao mesmo mês em 2010, conforme comunicado divulgado nesta terça-feira pela companhia aérea.

REUTERS

16 Agosto 2011 | 21h02

Nos voos domésticos, a demanda cresceu 19,6 por cento em julho na comparação anual, enquanto nos voos internacionais houve queda de 12 por cento.

O desempenho negativo no exterior se deve à devolução de três aeronaves Boeing 767 e à interrupção da operação da companhia para Bogotá, na Colômbia, motivos citados também no relatório de junho da empresa, quando a demanda externa já havia recuado 15,2 por cento.

Na comparação com junho, o salto na demanda nacional foi de 26,7 por cento devido às férias escolares e à maior quantidade de dias de operação, e a externa subiu 54,5 por cento pelos mesmos motivos, além da valorização do real frente ao dólar.

A taxa de ocupação total dos aviões da empresa ficou em 75,8 por cento, 9,9 pontos percentuais acima do mesmo mês no ano passado, em grande parte devido aos voos internacionais, nos quais houve acréscimo de 22,4 pontos.

De acordo com a companhia, o aumento na taxa de ocupação se deve à maior demanda e a um aumento na oferta de apenas 1,1 por cento devido a uma "estratégia de adição conservadora de oferta visando o aumento da taxa de ocupação".

Em julho, o yield--preço que o passageiro paga por quilômetro voado-- ficou entre 18,50 e 18,90 centavos de real, queda de cerca de 11 por cento na comparação anual.

(Por Priscila Jordão)

Mais conteúdo sobre:
AEREASGOLJULHO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.