Mercandante faz campanha em Santo André com mensaleiros

O candidato do PT ao governo de São Paulo, senador Aloizio Mercadante, fez hoje campanha com dois petistas candidatos a deputado federal acusados de envolvimento no esquema do mensalão: Professor Luizinho, candidato à reeleição e o ex-presidente do PT José Genoino.Segundo Mercadante, não há problema em ser acompanhado por seus "companheiros", pois eles não se sentem "constrangidos". Sou amigo de Genoino, nos abraçamos e não há problema nenhum".Genoino que evita dar declarações à imprensa, preferiu caminhar junto da militância no calçadão do centro de Santo André, enquanto o Professor Luizinho estava ao lado de Mercadante, chamando os comerciantes para a calçada e gritando "olha o Mercadante, futuro governador de São Paulo".Mercadante acredita que haverá grande renovação no Congresso, em especial na Câmara dos Deputados. Ele disse que a mudança se deve à insatisfação com todas as denúncias que envolvem o Congresso. E destacou a CPI dos Sanguessugas, na qual 57 parlamentares estão sob investigação. Diferentemente do esquema do mensalão, no caso dos sanguessugas até o momento não há petistas envolvidos.Questionado se os políticos do seu partido, envolvidos no escândalo do mensalão, estariam incluídos na renovação do Congresso, Mercadante respondeu: "A denúncia em relação a eles foi formalizada pelo Ministério Público, mas a Câmara votou pela absolvição e agora a Justiça vai decidir. E cada um vai apresentar sua defesa ao povo, que fará seu julgamento nas eleições".FebemNo início da manhã, Mercadante esteve em frente ao prédio da Escola Estadual José do Prado, no bairro Sacadura Cabral, para ouvir a comunidade que pedir para que o local não seja transformado em uma unidade da Febem. Mercadante se comprometeu a conversar com o governador Cláudio Lembo (PFL) para intermediar um encontro entre ele e o prefeito da cidade, João Avamileno (PT). Por volta das 13h45, Mercadante disse aos repórteres que o acompanhavam, que conseguiu falar por telefone com o governador. "Ele (Lembo) como sempre, foi muito atencioso. Disse que vai atender imediatamente o prefeito e pediu que o informasse sobre isso", contou Mercadante. Segundo o senador, Lembo considerou "fundamentados" os argumentos apresentados a ele. "Eu disse que o prédio da escola fica numa área densamente povoada, que já tem um cadeião e tem uma escola municipal de ensino infantil e que seria mais adequado buscar uma alternativa", disse. "O governador disse que, junto com o prefeito, vai buscar uma alternativa".Mercadante elogiou o comportamento de Lembo, que tem dialogado com o PT e classificou o comportamento de republicano. "O diálogo com ele é muito mais fácil. Ele convidou Lula para ir ao Palácio dos Bandeirantes, o que não tinha acontecido antes".Mercadante diz que, caso seja eleito, pretende acabar com a Febem. Diz que vai aproveitar os funcionários e a experiência da entidade, mas que espera criar unidades menores, que sejam gerenciadas em parcerias entre os poderes públicos, Igreja, ongs, organizações empresariais e sociedade. "Os jovens que forem primários não podem entrar na Febem, temos que criar uma nova estrutura com a comunidade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.