Mesmo censurada, Viradouro protesta e faz desfile de arrepiar

A idéia de retratar o arrepio surgiu quando o carnavalesco Paulo Ramos estava pesquisando sobre cabelo

Gustavo Miranda, estadao.com.br

04 de fevereiro de 2008 | 05h22

A proposta da Unidos do Viradouro neste carnaval era colocar a Marquês de Sapucaí de pernas para o alto. A escola vermelha e branca de Niterói, no Grande Rio, fechou o primeiro dia de desfile na avenida e com o enredo "É de Arrepiar", composto por Paulo César Portugal, Evaldo, Tamiro e Lima de Andrade, contou uma multiplicidade de cenas de arrepiar. Ao final do desfile, que foi emocionante e inovador, a escola protestou contra o veto a um carro alegórico que retratava o Holocausto.  As imagens do desfile Saiba como foram os desfiles em SP no 2º diaSaiba como foram os desfiles em SP no 1º diaVeja as melhores imagens dos desfiles em SP Qual escola de samba será campeã em SP?  Qual escola de samba será campeã no Rio?  Tudo sobre as escolas do Rio e os sambas  As melhores imagens do Carnaval pelo Brasil  A idéia de retratar o arrepio surgiu quando o carnavalesco Paulo Ramos estava pesquisando sobre cabelo e surgiu a palavra arrepiar. A partir daí, ele começou a imaginar o que poderia ser feito com o arrepio. Na avenida, a escola cantou sensações que provocam arrepio no homem, como o frio, o toque, as artes, com a ajuda de oito alegorias. Antes mesmo de o carnaval começar, a escola de Niterói causou polêmica. A questão foi um carro que se referia às vítimas do Holocausto. Depois de provocar muita controvérsia, o carro foi desmontado pela escola e proibido de ser exibido na Marquês de Sapucaí durante o desfile, pela Justiça. A decisão foi tomada pela juíza Juliana Kalichszteim em resposta a um pedido da Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (Fierj). Barros é conhecido pela audácia, criatividade e capacidade de causar polêmica. Um outro exemplo dessas características aconteceu no carnaval de 2007, quando deslocou a bateria da agremiação para cima de um carro alegórico. A bateria da escola, que no ano passado roubou a cena, também teve uma pitada de originalidade. À frente do coração da escola há cinco carnavais, a atriz Juliana Paes foi levantada como um troféu pelos integrantes da bateria. Além de Juliana, a escola teve para a avenida a maratonista Fernanda Keller, a cantora Beth Carvalho e os atores Paulo Gustavo e Marcos Oliveira.

Tudo o que sabemos sobre:
Carnaval 2008Viradouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.