Mesmo com ajuda da Força Nacional, Santa Catarina tem mais 5 ataques

Estado contabiliza mais de 110 atentados em 36 cidades nos últimos 20 dias

Júlio Castro,

18 Fevereiro 2013 | 16h00

FLORIANÓPOLIS - A série de atentados em Santa Catarina aumentou, mesmo diante do período de intervenção da Força Nacional de Segurança (FNS). Nas 48 horas de atuação dos cerca de 350 federais, cinco ocorrências foram registradas pela Polícia Militar catarinense. Agora já são 111 os atentados praticados em 36 municípios nos últimos 20 dias. Do total de atentados, 43 foram contra ônibus.

A ação mais danosa aconteceu no início da madrugada desta segunda-feira, em Rio Negrinho, no planalto Norte do Estado. Conforme o sistema de monitoramento de uma empresa de ônibus, três homens, com o rosto coberto, invadiram a garagem e incendiaram três veículos, sendo que dois foram completamente destruídos. Em Palhoça, na Grande Florianópolis, às 23 horas de domingo, um Chevrolet D-20 foi completamente queimado por dois homens que fugiram em uma moto. Também no domingo, às 22h15, uma base da PM de Água Doce, na região Meio Oeste, foi alvo de disparo de arma de fogo. Em Joinville, nesta madrugada, um veículo Gol foi queimado parcialmente dentro do terreno de seu proprietário. Uma garrafa pet com gasolina, colocada embaixo do motor, foi usada para provocar as chamas.

Já no sábado, 16, por volta das 17h30, um centro de artes e lazer da prefeitura de Itajaí, no Litoral, abriu a série de atentados do final de semana. A instalação foi arrombada e em seguida incendiada com o uso de um coquetel molotov. O alarme disparou e o fogo foi controlado pelo segurança do prédio. Danos apenas nos móveis e o forro de uma das salas.

Mais conteúdo sobre:
Santa Catarina atentados

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.