Mesmo sem reflexos nesta 5ª, aeroviários manterão operação padrão

Atrasos nos voos domésticos não passavam dos 11% até as 19h; expectativas do sindicato é que haja consquências já nesta sexta

Bruno Boghossian, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2010 | 19h40

RIO - Funcionários de empresas aéreas pretendem manter nos próximos dias a operação padrão iniciada nesta quinta-feira, 2, nos aeroportos brasileiros, com o objetivo de pressionar as companhias por reajustes salariais. Hoje, no entanto, o impacto da postura de "não-colaboração" dos trabalhadores foi pequeno: até 19h, 10,6% dos voos domésticos e 13,5% dos voos internacionais do País tiveram atrasos superiores a 30 minutos. Os funcionários acreditam que os reflexos devem ser sentidos a partir desta sexta-feira.

 

Aeronautas (comissários e pilotos) e aeroviários (profissionais que atuam em solo) buscam reajuste de 30% sobre o piso salarial e de 15% para os demais trabalhadores, mas não conseguiram chegar a um acordo com o sindicato que representa as empresas aéreas.

 

Enquanto a operação-padrão for mantida, os funcionários prometem se recusar a tomar atitudes que minimizam a sobrecarga provocada pelo aumento de voos em dezembro, como a redução dos horários de almoço e mudanças nas escalas de trabalho sem aviso prévio. Os sindicatos também não descartam a realização de paralisações este mês, caso as negociações salariais não avancem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.