Metade dos vôos no País registram atraso ou cancelamento

De 1.154, 496 registram atrasos superiores a 1 hora e 120 são cancelados

Agencia Estado

02 Julho 2007 | 10h04

Os atrasos por conta de neblina continuam afetando todos os aeroportos do Brasil, segundo informou o último boletim divulgado pela Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero). Da meia-noite até às 16h30 deste sábado, 30, dos 1.154 vôos programados, 496 registraram atrasos superiores a uma hora, o que representa 42,9% do total. Foram cancelados 120 vôos (10,9%). O Aeroporto de Florianópolis apresentou o maior porcentual de vôos prejudicados por atrasos, com 75% saindo com mais de uma hora de atraso. Dos 20 vôos programados até às 16h30, 15 apresentaram atrasos e três foram cancelados. O Aeroporto Internacional de São Paulo, Cumbica, em Guarulhos, registrou atrasos em 57 vôos, das 158 partidas programadas para o horário. Isso representa 36% do total. Neste período, foram cancelados sete vôos. O Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, que chegou a fechar, para pousos e decolagens, na noite de sexta-feira, apresentou atrasos em 40,1% do total de vôos. Até às 16h30, dos 162 vôos programados, 65 estavam fora do horário marcado. A Aeronáutica negou informação veiculada pela TV Globo de que houve pane em radar do Aeroporto de Cumbica. Segundo a assessoria, aproximadamente às 11 horas houve um problema no programa do sistema de gerenciamento de planos de vôo, que precisou ser reinicializado, e isso fez com que o espaçamento entre os vôos chegasse a dez minutos. Confusão em Viracopos Pelo menos 500 passageiros que tiveram seus vôos transferidos dos aeroportos de Congonhas e Guarulhos, em São Paulo, para o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, entre sexta e sábado, passaram a madrugada no aeroporto do interior do Estado. Irritado com a falta de informações, um grupo de passageiros da Gol Linhas Aéreas chegou a cruzar o limite do balcão do check-in para tentar conversar com os funcionários da companhia aérea. O clima em Viracopos permaneceu tenso desde a noite de sexta até a tarde deste sábado. Foram transferidos vôos das companhias Varig, Gol, Tam, Ocean Air, Pantanal, BRA e Taca Peru. Até o meio-dia, 11 vôos tinham deixado Viracopos rumo a seus destinos. Outros 22 ainda permaneciam no aeroporto, aguardando a reacomodação dos passageiros e reorganização dos vôos e liberação da Aeronáutica, com vistas à segurança do tráfego aéreo. Bahia No Aeroporto Internacional de Salvador foram registrados, desde a meia-noite até às 12h30, 15 vôos com atraso (36,5%) de mais uma hora e oito cancelados (9,5%). A principal explicação para os atrasos foi o fechamento do Aeroporto de Cumbica, que teria provocado um efeito cascata em outras cidades do país. Este final de semana é prolongado na capital baiana, pois segunda-feira, 2, é feriado em comemoração pelo Dia da Independência da Bahia, o que deve contribuir para aumento de fluxo de saída no aeroporto. Paraná e RS O Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba, registrou atrasos em 28 dos 48 vôos programados até às 16h30, o que representa 58,3% do total. O Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, também foi prejudicado por um nevoeiro neste sábado: um total de 59,5%. A partir das 12 horas, com a dissipação da neblina, o fluxo de pousos e decolagens entrou em um ritmo acelerado, o que possibilitou, aos poucos, a normalização no tráfego aéreo no Rio Grande do Sul. (Colaboraram Amanda Valeri, Ana Lívia Lopes, Carlos Alberto Fruet, Julio Cesar Lima, Paula Puliti e Tatiana Favaro, do Estadão, e Elvis Pereira, do estadao.com.br) Texto atualizado às 17 horas

Mais conteúdo sobre:
Aeroportos neblina atraso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.