Metalúrgicos de SP prometem lutar contra aumento do IPTU

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, Eleno Bezerra, emitiu uma nota oficial nesta segunda-feira, 23, contra o aumento de impostos em São Paulo, principalmente do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Segundo a nota, os metalúrgicos se reunirão com vereadores do PDT na Câmara Municipal, além de buscarem o apoio de outros vereadores para votar contra o projeto. Na última semana, o projeto do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PFL), foi bastante discutido e causou reação negativa na maioria da Câmara Municipal.O projeto enviado à Câmara no dia 29 de setembro divide a cidade em três zonas fiscais e prevê aumentos do IPTU de 3,7% a 6% para o ano que vem. Para 2008 está prevista uma revisão completa do valor venal dos imóveis, que será calculado na proporção de 70% de seu valor de mercado.De acordo com a nota de Bezerra, a medida do prefeito afugentaria empresários da capital paulista. "Queremos que a prefeitura adote medidas para incentivar as empresas a permanecerem em São Paulo e trazer novas fábricas para a cidade, e não o contrário", destaca, acrescentando que a medida da prefeitura, se aprovada, vai mandar as empresas embora, "sobretudo as pequenas e médias, que são as que mais empregam, e vão ter o seu imposto onerado". O presidente enfatiza a posição radical em relação ao projeto: "Os metalúrgicos de São Paulo são radicalmente contra o projeto do executivo municipal que aumenta impostos e outras taxas, como IPTU e o ISS. Já fomos contra o aumento desses impostos na administração anterior e somos contra o atual projeto que altera o cálculo do IPTU".Segundo Bezerra, o Sindicato dos Metalúrgicos já solicitou audiência com o prefeito da capital paulista e diz ainda que, "se for preciso", apelarão a outros empresários e sindicatos, "para fazer uma campanha conjunta contra o aumento do IPTU". E finaliza: "Estamos em campanha salarial negociando o aumento dos trabalhadores, que são moradores da cidade, e não vamos admitir que um aumento de impostos leve a conquista dos trabalhadores".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.