Meteorologia alerta possíveis deslizamentos de terra em SC

Repasse federal de R$ 19 mi para assistência a cidades afetadas por chuvas depende de vistoria da Defesa Civil

Agência Brasil,

08 Janeiro 2010 | 12h03

Um sistema de baixa pressão, formado muito próximo ao litoral norte de Santa Catarina, deve permanecer na faixa litorânea pelo menos até domingo, 10. Boletim do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia (Epagri/Ciram) alerta que o volume de chuvas nesse período deve superar os 100 milímetros, o que pode acarretar pontos de alagamento e deslizamento em áreas de encostas.

 

A recomendação da Defesa Civil é para que as pessoas observem qualquer movimento de terra ou rochas próximas às suas residências e a inclinação de postes e árvores. Nesses casos, toda a família deve sair de casa e acionar a Defesa Civil ou o Corpo de Bombeiros.

 

Na ocorrência de granizo, devem se proteger em lugares seguros, com boas coberturas. Uma das sugestões da Defesa Civil é de que usem os banheiros das residências, fechem janelas e portas e não usem equipamento elétrico ou telefone devido aos raios e relâmpagos.

 

Os telefones 199 e 193 estão disponibilizados para emergências. A Defesa Civil informa que mantém atendimento de plantão ininterruptamente.

 

A Defesa Civil está vistoriando os 59 municípios catarinenses mais afetados pelas chuvas entre novembro e dezembro do ano passado. O diretor Márcio Luiz Alves explicou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o repasse de R$ 19 milhões do governo federal para assistência e socorro a esses municípios depende dessa vistoria. No último dia 31 de dezembro, o valor foi empenhado pela Secretaria Nacional de Defesa Civil e deverá ser pago em parcelas após a publicação no Diário Oficial.

 

Em 2009, de acordo com balanço da Defesa Civil, foram registradas ocorrências de eventos adversos extremos em 277 cidades, 94% do território catarinense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.