Método lusitano

Tutty Vasques escreve todos os dias no portal Estadao.com.br, de terça a sábado neste caderno e aos domingos no caderno Aliás

Tutty Vasques, O Estadao de S.Paulo

28 Agosto 2009 | 00h00

Se Deus é mesmo português, como dizem os cristãos da Segundona, pode apostar que torce pelo Vasco, se é que não virou casaca pro Timão no ano passado. Para a Lusa, ele nem olha, pra não ver o que teria feito o técnico René Simões: recém-chegado ao Canindé, saiu correndo de lá com o craque do time atrás. O inferno não pode ser muito pior que um vestiário cheio de homens nus e derrotados, tomando dura do braço armado do Conselho Deliberativo do clube. Alto lá, pá! Tá certo que todos nós - ainda que em dosagens diferentes - herdamos do sangue lusitano uma imensa disposição para ganhar no grito, mas associar esse DNA de tamanco ao crime de ameaça à mão armada, peralá! Pode-se até imaginar a eficácia do método para fazer o adversário perder, mas, para constranger seu time a vencer, francamente, por que não tentam pagar um bicho melhor pela vitória? Se o emprego da violência fosse capaz de persuadir o ser humano a desempenhar bem seu papel no trabalho, meia dúzia de capangas no vestiário do Senado davam um jeito no Brasil! CENA DE TWITTER Xuxa rompeu com o Twitter! Magoou depois que uma mensagem da Sasha no set de filmagens - "vou fazer uma sena (sic) com a cobra" - virou case de erro de português na internet. Ninguém se preocupou com a tal "cena com a cobra" propriamente dita. PISTA FALSA A polícia vai perder seu tempo se seguir Paulo Maluf no Twitter. Ninguém vai a banco na rede social. Ufa! Enfim uma boa notícia para a base aliada do governo: o caseiro Francenildo nunca viu a ministra Dilma Rousseff e a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira juntas. Não é nada, não é nada... Mal comparando Corre na internet a denúncia de que escolas no Maranhão estariam ensinando que os Kennedys foram uma espécie de dinastia Sarney dos EUA. A começar pelo ipsilone na terminação do sobrenome, né?! Programa de índio Evo Morales promete encher a paciência de todo mundo na reunião da Unasul, em Bariloche, com a ideia de um referendo continental sobre a instalação de bases militares dos EUA na Colômbia. Granada lavanda São Paulo parou na manhã de ontem por causa de um frasco de perfume fazendo papel de granada em falsa ameaça de bomba na Ponte do Limão. É a desmoralização da insegurança! Chame o ladrão! Pode acabar em pancadaria no domingo a 1.ª Conferência Nacional de Segurança Pública, realizada desde ontem em Brasília. Os tiras não estão muito acostumados a discutir esse tipo de assunto. Maldição do Galvão Adriano abriu seu coração no Bem Amigos de segunda-feira. Resultado: sentiu a coxa na terça e, na quarta, o Flamengo foi eliminado da Sul-Americana. E olha que o apresentador do programa nesta semana nem foi o Galvão Bueno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.