Metrô de São Paulo pode entrar em greve na terça

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo vai realizar na segunda-feira uma assembléia para decidir sobre a proposta de entrar em greve na terça-feira. Os metroviários podem parar porque a Companhia do Metropolitano de São Paulo não pagou um reajuste determinado pelo Tribunal do Trabalho em maio, quando a categoria foi a dissídio. Para a categoria, o reajuste de 18,13% deveria ter sido pago no adiantamento salarial que os trabalhadores receberam ontem. A empresa divulgou nota anunciando que vai recorrer da determinação ao Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília. A alegação do Metrô é de que o reajuste de 18,13% consumiria 80% da receita da empresa, tornando a administração inexeqüível. Os 20% restantes, segundo a empresa, estariam comprometidos com o pagamento de energia elétrica e não seriam suficientes para a manutenção das estações, trens e os serviços de vigilância e limpeza. Os metroviários decidiram que vão aguardar até a segunda-feira uma mudança de posição do Metrô. Caso contrário, vão votar a realização da greve a partir de terça-feira, informou um funcionário do sindicato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.