Metrô de SP e funcionários fazem acordo e evitam a greve

O Metrô e os funcionários conseguiram chegar a um acordo para evitar a greve que a categoria havia marcado para esta terça-feira. Na audiência de conciliação realizada hoje à tarde no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a empresa ofereceu o pagamento antecipado, no dia 27, de um terço da folha como participação nos lucros e resultados. O acordo foi aprovado pelos trabalhadores em assembléia realizada nesta noite. A Justiça havia determinado que esse dinheiro fosse depositado em 30 de dezembro, mas o Metrô não cumpriu a ordem do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Pelo atraso no pagamento, a empresa ofereceu 1%, mais a correção monetária do período aos empregados. Aceitou também outra reivindicação dos funcionários e vai pagar 10% de adicional por risco de vida ao pessoal que trabalha na segurança. O valor referente a dezembro será pago no dia 15, em folha suplementar da empresa.Ao longo deste mês, o Metrô propôs discutir com o sindicato a redução da jornada de trabalho de 40 para 36 horas dos trabalhadores da área operacional, como quer a categoria.O TRT concedeu ainda estabilidade aos trabalhadores por 90 dias, contados a partir de 4 de dezembro. Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Metroviário, Flavio Godoi, a solução encontrada no tribunal entre as duas partes foi a melhor possível. "Chegamos no limite", disse, depois da assembléia. "Conseguimos o que queríamos e agora a vida continua."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.