Metrô de SP receberá US$ 209 mi de bancos japoneses

O presidente da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), Luiz Carlos David, afirmou hoje à Agência Estado que o governador Geraldo Alckmin deverá assinar em agosto o contrato para receber o segundo empréstimo externo de US$ 209 milhões do Japan Bank for International Cooperation (JBIC). O financiamento foi aprovado no último dia 6 pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, conforme destaca resolução publicada hoje no Diário Oficial da União.O dinheiro será aplicado pelo Metrô na construção da Linha 4 (amarela), da estação Luz até a Vila Sônia. Segundo David, oMetrô terá até junho de 2007 para utilizar o crédito, a contar da data da assinatura do contrato. As obras da linha já começaram e d evem prosseguir por 42 meses.O empréstimo vem de um consórcio de bancos japoneses liderados pelo Sumitomo Mitsui e garantido pelo JBIC. Em junho de 2002, o governador Alckmin assinou o primeiro acordo de financiamento para a Linha 4, no mesmo valor, junto ao Banco Mundial. O Metrô c omeçará a pagar o empréstimo partir de setembro de 2007, dividido em 18 parcelas semestrais de US$ 11,6 milhões. A primeira amortização vence em setembro de 2007 e a última em 2016.Obras A linha 4 começou a sair do papel este ano. Serão 12,8 quilômetros de três lotes, com 11 estações no total. A primeira fase está a cargo das empresas CBPO, Queiroz Galvão, OAS e Alstom. Segundo David, elas farão cinco estações eos túneis. Estão também c ontratadas a Andrade Gutierrez, a Camargo Corrêa e a Siemens, que farão o pátio de Vila Sônia.Essas empresas deixarão a estrutura pronta para mais cinco estações.Segundo Davi, o metrô deverá lançar no primeiro semestre de 2005 a licitação internacional para a compra dos trens. Eleafirmou que o Unibanco está fazendo o estudo de engenharia financeira para finalizar os 12 quilômetros de linha por meio de concessão com a iniciativa privada. As empresas vencedoras poderiam participar do investimento e operar a linha 4 por 20 anos. O estudo do Unibanco deverá estar pronto até o fim do ano.A Linha 4 do Metrô exigirá investimentos da ordem de R$ 3,1 bilhões, sendo R$ 1,9 bilhão nesta primeira fase e R$ 1,2 bilhão na segunda etapa (para a qual se estuda o esquema de concessão). O governo do Estado já investiu neste ano na Linha 4 cerca de R$ 155,3 milhões, sendo R$ 65,7 milhões com recursos do Tesouro e R$ 89,6 milhões de financiamento do Banco Mundial. Após concluída a primeira etapa, a Linha 4 do Metrô transportará 962 mil passageiros por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.