Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Metrô de SP vai completar 35 anos

Na próxima quinta-feira, o Metrô de São Paulo completará 35 anos. Em 1968, quando seu projeto foi concebido - o início das operações ocorreu em setembro de 1974 -, esperava-se que no ano 2000 a rede teria 150 quilômetros. Sob este aspecto, não há muito o que comemorar: os paulistanos contam com apenas 57,6 quilômetros, divididos em quatro linhas. E está longe de atender aos 10,4 milhões de habitantes da capital.Na Cidade do México, metrópole com características socioeconômicas e urbanas semelhantes às de São Paulo, o metrô começou a operar cinco anos antes e avançou quase quatro vezes mais. Hoje, há 200 quilômetros de rede, em 11 linhas. O sistema transporta quase 1,5 bilhão de pessoas por ano enquanto o paulista leva um terço disso."O governo mexicano colocou o sistema de metrô como prioridade nacional e vem investindo na expansão da rede com verba federal desde a década de 60, o que não aconteceu no Brasil", afirma Peter Ludwig Alouche, assessor-técnico da presidência do Metrô de São Paulo. "É preciso considerar que a Cidade do México é a única metrópole, além de ser a capital do governo. O Brasil tem muitas metrópoles."A Linha 1 (Jabaquara-Santana) teve verba municipal, a Linha 2 (Ana Rosa-Vila Madalena), federal e estadual e a Linha 3 (Barra Funda-Corinthians-Itaquera), só estadual. A mais nova, a Linha 5 (Capão Redondo-Largo 13), foi a primeira a ter dinheiro de fora dos cofres públicos.A primeira fase da Linha 4 vai custar US$ 786 milhões, sendo US$ 418 milhões financiados pelo Banco Mundial e pelo Japan Bank International Corporation. Outros US$ 15 milhões serão pagos pela Prefeitura para fazer a Estação Faria Lima. A obra na linha inteira vai usar US$ 1,26 bilhão. "Cinco anos atrás, os bancos não financiavam metrôs, mas começaram a notar que são um bom recurso para desenvolver as regiões", diz Alouche. O maior metrô do mundo é o de Nova York: 471 quilômetros, 25 linhas e 6.195 trens. Transporta 1,4 bilhão de pessoas por ano. Londres vem em segundo lugar, com 415 quilômetros, 12 linhas e 3.983 trens, que atendem a quase 1 bilhão de passageiros. "A vantagem das novas linhas do metrô é a integração com a CPTM", diz Alouche. Com a malha da CPTM, São Paulo soma aos seus 57 quilômetros de metrô outros 270.TecnologiaO metrô de São Paulo é conhecido como um dos mais limpos e seguros do mundo. Também ganha em tecnologia. O governo mexicano, por exemplo, chegou a ceder petróleo à França em troca de seu know-how. Os trens de São Paulo também são mais amplos e as composições, capazes de transportar número maior de pessoas.O metrô paulistano, porém, é um dos mais caros do mundo. Alouche garante que é por causa da topografia. "Nossos trilhos chegam a 30 metros de profundidade, enquanto na Cidade do México não ficam a 5 metros." Alouche defende a construção de linhas superficiais de metrô.Obras da Linha 4 do Metrô de SP causam polêmica entre moradoresNovas linhas do metrô mudam a cara de SPLinha do metrô 1 valorizou terrenos em 30%

Agencia Estado,

20 de abril de 2003 | 11h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.