Metrô e CPTM: bilhete a R$ 2 nos fins de semana

Movimento Nossa São Paulo defende que modelo seja estendido a ônibus

Naiana Oscar e Milton F. da Rocha Filho, O Estadao de S.Paulo

27 Outubro 2007 | 00h00

A Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos lança hoje o Bilhete Lazer (BLA), nova modalidade tarifária que proporcionará desconto na utilização dos trens da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) das 18 horas dos sábados até o encerramento da operação aos domingos. O Bilhete Lazer também será válido durante toda a operação comercial das linhas nos feriados nacionais e estaduais. Na compra do BLA , os passageiros pagarão R$ 2,00, em vez de R$ 2,30, que é a tarifa normal que continuará a ser cobrada nos demais dias da semana. O novo cartão será adquirido por R$ 20, com direito a dez viagens - a economia total chega a R$ 3. Ao realizar a primeira compra, além do crédito, serão cobrados R$ 2 pelo cartão de plástico. O Bilhete Lazer utilizará a mesma tecnologia dos cartões inteligentes, sendo recarregável nos postos do Bilhete Único, bancas de jornal e em outros estabelecimentos credenciados. Depois da compra, o usuário deve se cadastrar nos sites www.metro.sp.gov.br ou www.cptm.sp.gov.br. LILÁS O BLA será aceito tanto em bloqueios do metrô quanto das estações da CPTM. No caso da Linha 5-Lilás do Metrô (Capão Redondo-Largo 13, em Santo Amaro), o Bilhete Lazer poderá ser utilizado somente aos sábados, das 18 horas à meia-noite, uma vez que as composições não operam ali aos domingos e feriados. O novo cartão poderá ser usado em seqüência por mais de uma pessoa, sem restrições de acesso. Para o secretário executivo do Movimento Nossa São Paulo, Maurício Broinizi, a redução é pequena, "quase simbólica", mas representa um primeiro passo do poder público em oferecer transporte gratuito para a população nos fins de semana. Para Broinizi, é importante que esse desconto seja ampliado para as linhas de ônibus. Mas a Secretaria de Transportes Metropolitanos já informou que isso não está nos planos. A idéia agora é que as empresas de ônibus também cumpram cotas sociais, oferecendo linhas gratuitas que liguem os bairros às principais áreas de lazer público da cidade aos sábados e domingos, quando o trânsito de São Paulo é mais tranqüilo. "Muita gente não se locomove porque o custo é alto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.