Metrô tem recorde no desempenho depois de greve

O desempenho das operações do Metrô em São Paulo melhoraram nos dias pós-greve dos metroviários. Ontem, a Linha 3 - Vermelha - ligação Leste-Oeste, bateu recorde no intervalo entre as composições no período da manhã. A média de 101 segundos entre um trem e outro baixou para 99 segundos, tornando as viagens mais rápidas e diminuindo o tempo de espera nas plataformas. Na Linha 2 - Verde - Vila madalena-Alto do Ipiranga, o tempo diminuiu de 149 segundos para 138, também pela manhã. Na segunda e terça-feira, primeiros dias úteis após o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) ter julgado a paralisação abusiva e multado o Sindicato dos Metroviários por ter considerado que a direção da entidade agiu de má fé, nenhum empregado faltou ao trabalho. De acordo com a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, houve 100% de comparecimento.Ontem, o sindicato iniciou uma operação padrão para protestar contra a demissão de 61 trabalhadores depois da greve. O procedimento vai evitar que os metroviários façam horas extras e trabalhem além da jornada diária, principalmente em dias de eventos especiais. Os trabalhadores decidiram que não vão "quebrar o galho" para falta de pessoal ou ausência de condições de trabalho. A prioridade é conseguir a reversão das 61 demissões. Segundo o diretor do Departamento Jurídico do sindicato, Eduardo Alves Pacheco, a categoria se esforçou muito nos últimos dias "para colocar a casa em ordem". "Teve um esforço medonho para não prejudicar o usuário e o serviço. Tinha muito trem parado na manutenção, e se a gente levar tudo ao pé da letra, vai ter um desfalque muito grande."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.