Metrô usa mímica para conscientização

Confusões impedem embarque de 3,5 mil por hora em São Paulo

Marcela Spinosa, O Estadao de S.Paulo

02 de abril de 2009 | 00h00

A cada hora, 3,5 mil passageiros do metrô de São Paulo deixam de ser transportados por entraves no embarque e desembarque. Tudo por causa de atitudes como impedir o fechamento das portas, que atrasam a circulação das composições e aumentam o tempo da viagem. Para evitar esse tipo de situação, a companhia lançou uma campanha de conscientização sobre o uso adequado e seguro do metrô. São 18 artistas que se revezam em grupos de apresentações teatrais até o dia 27 (só nos dias úteis), das 6 às 20 horas, nas estações mais movimentadas.Ontem na Estação República, da Linha 3-Vermelha, artistas ora vestidos de funkeiros ora interpretando um casal de idosos atuaram nos guichês de venda de bilhetes. A intenção era fazer os usuários facilitarem o troco para evitar filas e comprarem o bilhete antecipadamente. Outros três temas serão tratados na campanha: respeito ao atendimento e assentos preferenciais, agilidade no fluxo das escadas rolantes e organização no embarque e desembarque.Este item fica prejudicado principalmente nos horários de pico. O gerente de Operações do Metrô, Wilmar Fratini, recomenda que os passageiros esperem a composição seguinte. Ele explicou que a campanha foi elaborada depois de os técnicos observarem o comportamento inadequado de alguns usuários. "Percebemos nos últimos anos, com o aumento da demanda, que parte dos usuários ficou mais afoita no sentido de disputar espaço nas estações e nos trens. E outra parcela, principalmente os idosos, sofre um pouco com essa falta de respeito", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.