AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Metroviários de SP ameaçam iniciar greve amanhã

O Presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Flávio Montesinos Godoi, participará de audiência na tarde de hoje, no Tribunal Regional do Trabalho, com representantes do Metrô e do governo do Estado para nova tentativa de negociação. A principal reivindicação da categoria é o aumento salarial de 9,9%, sendo 3,19% de reajuste e 6,5% de produtividade.Caso não se chegue a um acordo nesta reunião do TRT, os metroviários entrarão em greve amanhã.A proposta apresentada pelo governo de 2,55% foi recusada e classificada como "indecorosa" pela categoria, segundo o sindicato. Além do índice de reajuste, os funcionários reivindicam anuênio para todos, adicional de periculosidade aos trabalhadores da Linha 5, fim do pagamento da periculosidade por apontamento onde ocorre e plano de carreira.Segundo o sindicato, o número de usuários do metrô cresceu em 800 mil pessoas, desde a implantação do bilhete único, sem aumento no quadro de funcionários, o que vem sobrecarregando o trabalho. "Não vamos abrir mão da compensação merecida pelo aumento de produtividade de nossa categoria".Os metroviários reúnem-se hoje, às 18h30, no sindicato, para decidir em que condições acontecerá a greve, que deve começar amanhã caso não haja avanços na audiência de hoje.

Agencia Estado,

29 de maio de 2006 | 12h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.