Metroviários desistem de greve nesta 5ªF

Em assembléia na noite desta quarta, os metroviários desistiram da greve marcada para esta quinta. Em julgamento, à tarde, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) havia determinado à Companhia do Metropolitano (Metrô) o atendimento de uma série de reivindicações da categoria. Com isso, a greve de advertência de 24 horas foi suspensa, embora continue mantido o estado de greve até que o Metrô cumpra as determinações da Justiça.A tendência, porém, é que a empresa recorra ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) em Brasília. Nenhum representante do Metrô foi localizado para comentar o assunto.Segundo o delegado sindical Wilson Santos, o TRT determinou o pagamento do adicional de risco de vida - 10% do salário - para os agentes de segurança, 60 dias de estabilidade a partir desta quarta, antecipação até o fim do mês de 50% do pagamento da participação nos resultados, o que representa cerca de R$ 1 mil para cada trabalhador, e redução da jornada de 40 para 36 horas para 60 funcionários."A decisão foi favorável; agora, vamos esperar para ver se o Metrô vai cumprir o que foi determinado. Se isso não ocorrer, entraremos em greve", afirmou Santos. O presidente do Sindicato dos Metroviários, Flávio Godoi, apresentou à categoria a proposta, aceita, de suspensão do movimento."Os juízes ordenaram à empresa, ainda, a formação de uma comissão para acelerar o pagamento de ações trabalhistas que vencemos", informou o secretário de organização, Onofre Gonçalves de Jesus.

Agencia Estado,

04 de dezembro de 2002 | 22h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.