Metroviários paulistas decidem, agora, se entram em greve

A reunião de conciliação realizada no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), entre funcionários e representantes da Companhia do Metropolitano de São Paulo, terminou sem acordo. O TRT determinou que, mesmo que a greve seja decretada, 100% dos trens deverão funcionar no horário de pico e, pelo menos 80%, no restante do dia. De acordo com o TRT, o descumprimento dessa decisão vai custar R$ 200 mil em multas diárias ao sindicato. Os metroviários realizam assembléia neste momentona sede do sindicato, para decidirem se entram ou não em greve a partirda zero hora desta terça-feira, segundo informa a Agência Brasil. A categoria pede reposição salarial de 4,36 %, plano de carreira, manutenção do pagamento do adicional de risco e pagamento do anuênio para todos os funcionários, entre outras reivindicações. Cerca de 2,5 milhões de paulistanos utilizam o sistema do metrô diariamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.