Rafa Mattei e Rubens Cerqueira divulgação
Rafa Mattei e Rubens Cerqueira divulgação

'Meu coração está explodindo de felicidade', diz Ivete ao chegar ao trio

Cantora está de volta à folia após ficar afastada do carnaval 2018, para ter as filhas gêmeas

Heliana Frazão, especial para O Estado

02 de março de 2019 | 18h01

SALVADOR - Puxando cerca de 4 mil foliões no tradicional bloco Coruja, Ivete Sangalo voltou ao carnaval Salvador depois de uma pausa de um ano, em razão do nascimento das filhas gêmeas Helena e Marina, em fevereiro de 2018. Animada, ela falou sobre a alegria e ansiedade em retornar à festa.

Vestida com um figurino amarelo vivo, cheio de babados e um grande decote, ela empolgou o circuito Dodô (Barra/Ondina), onde desfilará até a segunda-feira, 4. Ivete foi a primeira grande atração do circuito neste sábado, 2. 

O retorno superou as expectativa dos fãs."Ivete é maravilhosa, consegue nos surpreender todos os anos, sou fã de carteirinha e estava morrendo de saudades. Estou feliz porque ela votou", festejou a secretária Ivana Campos, 34 anos. 

E foi exatamente o que gritou Ivete de cima do trio logo depois: "Mainha está de volta". Eram quase 16h quando o bloco deixou a concentração no Porto da Barra. 

 "Vocês não imaginam a alegria que eu estou sentindo", completou, ao começar a cantar "Teleguiado", o hit do momento. 

A bordo do trio elétrico estavam como convidadas, a atriz Claudia Raia e Bruna Marquezine, que também acompanhou Ivete por todo circuito, onde a cantora desfilará três dias puxando o mesmo bloco: sábado, domingo e segunda-feira.

"Obrigada pelo carinho. Que delícia estar de volta ao Carnaval de minha terra", comentava entre uma música e outra. 

Depois da apresentação de Ivete, Bell Marques fez os foliões dançarem. Ele arrastou uma multidão com o bloco "Vumbora", seguido pela Banda Eva. Timbalada e Chiclete com Banana também se apresentam. No circuito Osmar, no centro da cidade, a grande atração ficou por conta de uma das pipocas mais democrática dos festejos baianos, que tem o comando do cantor Saulo.  Apesar do forte sol e calor intenso, no início da tarde, muitos de foliões seguiam o trio do cantor, que não tinha corda.

A noite do sábado seguiu a tradição dos blocos afros, com suas cores vibrantes e coreografias diferenciadas. Desde 17h, agremiações como Bankoma, Muzenza, Malê Debalê e Ilê Aiyê abrilhantaram a passarela com a tradição afrobaiana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.