MG quer tornozeleira eletrônica neste ano

O governo de Minas deve divulgar até o fim do mês edital para compra de tornozeleiras eletrônicas para monitorar presos dos regimes aberto e semiaberto. A meta é que, até o fim do ano, 800 detentos usem o equipamento, que dá a localização exata do usuário. O objetivo é aliviar a superlotação carcerária e reduzir custos. O monitoramento eletrônico custará R$ 700 mensais por detento, ante os R$ 1.800 gastos hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.