Milhares seguem o Cordão da Bola Preta

Desfile, marcado por marchinhas antigas, comemorou os 90 anos do bloco

Nilson Brandão Júnior, O Estadao de S.Paulo

03 de fevereiro de 2008 | 00h00

Milhares de foliões do Cordão da Bola Preta, considerado o mais antigo bloco carnavalesco da cidade, desfilaram ontem pela Avenida Rio Branco, principal via do centro do Rio. Uma multidão que chegou a ser estimada em cerca de 500 mil pessoas pelos organizadores lotou e se espremeu pela avenida e ruas próximas.O desfile, que comemorou os 90 anos do bloco, foi marcado por antigas marchinhas de carnaval e canções mais recentes. Dois carros de som puxaram a multidão pela Rio Branco. O bloco começou a se concentrar por volta das 9 horas na Cinelândia e ainda ao meio-dia percorria a Avenida Rio Branco. Uma das marchinhas mais cantadas foi o hino do Bola Preta: "Quem não chora não mama/ segura, meu bem/ a chupeta/ lugar quente é na cama/ ou então, no Bola Preta". Um esquema especial de trânsito foi montado com o bloqueio de ruas para permitir a passagem do bloco. Ambulantes vendiam latas de cerveja, adereços, perucas e lanches para os foliões. Com cordas, sem repressão da Guarda Municipal nem da Polícia Militar e até com cobertura de "seguranças", os camelôs até "privatizaram" parte das calçadas na Avenida Almirante Barroso, para instalar sua barracas. NOVA SEDESem sede desde o fim de janeiro, depois de ter sido despejado por conta de uma dívida de R$ 1,5 milhão em taxas de condomínio e IPTU atrasados, o Bola Preta ganhou do governo estadual um novo lugar para se basear na véspera do carnaval, na Lapa. O bairro é considerado o berço da boêmia carioca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.