Miliciano foge de Bangu 8 pela porta da frente

Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, da milícia Liga da Justiça, fugiu na manhã de anteontem pela porta da frente do Complexo Penitenciário de Bangu. Comparsas chegaram uniformizados e apresentaram documentos de agentes penitenciários, dizendo que o levariam para um oftalmologista. A manobra foi descoberta 24 horas depois, durante contagem dos presos. O diretor de Bangu 8, Luiz Henrique Burgos, foi exonerado. "Ninguém tem dúvida de que o plano elaborado teve um grau de corrupção altíssimo. Não é admissível que um preso de alta periculosidade tenha saído no feriado (Dia do Funcionário Público) para ir ao médico, quando sequer tinha oftalmologista disponível", disse o secretário de Administração Penitenciária, Cesar Monteiro. Os dois criminosos usaram um Palio branco semelhante ao da escolta. Batman tinha consulta às 9 horas, no hospital do complexo. Mas a escolta verdadeira havia checado que não havia médico de plantão, por conta do feriado, e não apareceu. O cancelamento da consulta não foi avisado. O carro usado teve placa clonada do veículo que serve ao diretor de outro presídio, o Ary Franco. Os nomes e as matrículas apresentados são de funcionários da secretaria - está sendo investigado se eles colaboraram com a fuga. Monteiro reconheceu que havia recebido informação sobre um possível resgate de Batman e insistiu que "houve corrupção". Depois, admitiu "uma série de falhas". A fuga será revisada em sindicância interna.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.