Milionários participam de ''racha''

Sobrinhos de Salvatore Cacciola são acusados de fazer e gravar manobras a mais de 200 km/h em rodovia no Rio

Márcia Vieira, RIO, O Estadao de S.Paulo

25 de março de 2009 | 00h00

Dois sobrinhos do ex-banqueiro Salvatore Cacciola, que cumpre pena no presídio de Bangu 8, foram acusados pela Polícia Rodoviária Federal de participarem de um "pega" - "racha" - na Rodovia Washington Luís, na região serrana do Rio, no sábado de manhã. Giacomo, de 24 anos, e o irmão Giordano, de 31, foram flagrados juntamente com dois amigos, Daniel Mascarenhas Alvim de Carvalho, de 26 anos, e Rodrigo Lyrio Badin, de 27, às 10h30, dirigindo seus carrões, um Porsche Cayman, um Audi S5, um BMW 550i e outro BMW M3, a mais de 200 km/h, enquanto um dos rapazes filmava as manobras na rodovia pelo teto solar. Os quatro carros juntos valem cerca de R$ 1 milhão. Assista aos vídeos de rachas em estradas de São PauloUm deles bateu numa Kombi que manobrava para fazer um retorno na altura do km 53. Na 106ª delegacia, em Itaipava, para onde foram levados, os quatro se negaram a prestar depoimento. "Eles preferiram só falar em juízo", explicou ontem o delegado Antonio Celso. Mas o inquérito foi encaminhado para o Juizado Criminal de Itaipava. No dia 8 de maio, será realizada a primeira audiência do caso. De acordo com a legislação, eles responderão em liberdade pelo envolvimento em acidente de trânsito durante corrida automobilística em via pública. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os relatos das testemunhas mostram que eles percorreram 30 km, tumultuando o trânsito e arriscando a vida de outras pessoas. ?NADA É VERDADE?Daniel Mascarenhas Alvim Carvalho negou que estivesse participando de um racha. "Vamos mostrar em juízo que nada disso é verdade", disse. Carvalho é sócio de uma empresa de treinamento para operadores do mercado de capitais. Os irmãos Cacciola trabalham na empresa de móveis Lacca, fundada pelo pai, Renato, irmão do ex-banqueiro Salvatore. A rede tem três lojas no Rio e uma fábrica que ocupa 20 mil m² em Paciência, zona oeste do Rio. Giordano cuida da área comercial e Giacomo, com formação em Design, em Milão, é responsável pela criação dos armários e estantes. Procurados pelo Estado, não quiseram dar entrevista. Quem pratica racha fere dois dispositivos do Código de Trânsito: o artigo 173, que prevê multa de R$ 574,59, 7 pontos na carteira, suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo; e o artigo 308, com detenção que pode chegar a 2 anos. "É um caso em que a infração é passível de pena administrativa e criminal", explica o advogado Cyro Vidal Soares da Silva, presidente da Comissão de Assuntos e Estudos sobre Direito de Trânsito da OAB. "Se a Polícia Rodoviária flagrar um racha, o motorista vai parar na delegacia. E pode até ser preso em flagrante."COLABOROU EDISON VEIGA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.