Militância domina internet para repercutir encontro

Partidários fizeram dos temas relacionados ao debate os mais comentados no microblog Twitter

José Orenstein ESTADÃO.COM.BR, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2010 | 00h00

Enquanto os candidatos debatiam no último encontro televisivo ontem na Rede Globo, suas vozes eram reverberadas, repercutidas e multiplicadas na internet.

No Twitter, microblog que virou uma espécie de termômetro em tempo real dos debates ao longo da campanha política este ano, telespectadores, militantes, jornalistas e figuras políticas comentaram os lances do encontro. E se o debate em si não trouxe grandes emoções, a discussão na web também se limitou à disputa por espaço entre adversários políticos.

Marina Silva, por exemplo, tentou surfar a "onda verde" e preparou seus seguidores na web para fazer crescer o burburinho em torno dela durante o debate. A candidata publicou em seu site, pouco antes do encontro, um guia que convocava militantes a reproduzirem suas falas na TV e a esclarecerem suas propostas.

A tática surtiu efeito: durante o debate, o termo "marina43" foi dos mais reproduzidos em todo o mundo no Twitter, segundo ferramenta que mede os termos mais citados na rede. Tão citado quanto o nome da candidata, apenas "debate globo".

Tuitadas. E se a militância verde inundou a web, políticos petistas trataram de alfinetar os adversários e apimentar um debate em que houve pouco confronto direto. O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, foi dos mais ativos na rede. Publicou diversas mensagens incensando Dilma Rousseff e exaltando seu desempenho. "Dilma se sai extraordinariamente bem: segura e com profundo conhecimento dos temas debatidos. Fora dela, só superficialidade e demagogia", escreveu.

Na mesma linha, a conta "Dilmanaweb", que representa a campanha petista na internet, aproveitou o Twitter para rebater e atacar o tucano José Serra: "Agora, Serra tenta colocar a culpa da enchente em SP no governo federal. Disse que recebeu pouco dinheiro", escreveu.

Pelo lado tucano, nomes como Soninha Francine, que gerencia a campanha do PSDB na internet, o senador Álvaro Dias e Walter Feldman, candidato a deputado federal em São Paulo, davam suporte a Serra durante todo o debate via Twitter. Questionando a fala de Dilma, Soninha escreveu: "O PAC 2 continua prevendo outros tantos bilhões simplesmente porque a primeira parte não foi gasta. Vejam lá nos relatórios do PAC...".

Já Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, teve suas falas retransmitidas no Twitter ao longo do debate. Por meio de sua assessoria, que assumiu sua conta no microblog, os principais momentos do candidato do PSOL eram divulgados e reproduzidos. Ataques a Dilma e Serra foram destacados na página do socialista, e seu nome figurou também entre os mais citados no debate.

Ao fim do último embate televisivo entre os candidatos à Presidência da República, quando já se avançava a madrugada da sexta-feira, termos como "saneamento básico" e "dívida externa" estavam entre os dez mais comentados no Twitter pelo mundo. Mais do que o confronto direto, parecem ter sido os temas políticos o grande atrativo do debate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.