Militares apanhados com 300 quilos de maconha

Uma força-tarefa da Polícia Federal desmontou um esquema de tráfico de maconha feito por militares num carro caracterizado como os do Exército. Dois sargentos ? uma da ativa e outro da reserva ? foram presos em flagrante na tarde de hoje na Rodovia Presidente Dutra, próximo a Seropédica (região metropolitana), com cerca de 300 quilos da droga. No mesmo momento, agentes prenderam o gerente do tráfico na favela do Acari e o irmão de um dos militares, que negociavam o valor da maconha na Rodoviária Novo Rio.A quadrilha vinha sendo monitorada havia três meses por policiais federais de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, com apoio do Ministério Público Federal e da Justiça. Ontem, o segundo-sargento Bartolomeu Oliveira da Silva, de 35 anos, e o terceiro-sargento reformado Roberson Davis Sá, de 28 anos, deixaram Curitiba com a droga, vinda do Paraguai. Eles vestiam uniformes camuflados e seguiam no Veraneio verde-oliva, placa branca AIJ-2803 ? um veículo clonado do Exército. Durante todo o trajeto até o Rio, os militares não foram parados por blitzes policiais e passaram sem pagar por todos os pedágios. Ao mesmo tempo em que a dupla deixava Curitiba, o irmão de Roberson, Denis Robert Sá, seguia de ônibus para o Rio, ondetinha encontro marcado com o gerente do tráfico Uedson Carlos de Moraes. Roberson e Silva foram seguidos durante toda a viagem pela polícia.Eles começaram a desconfiar ao passar pelo pedágio em Seropédica e tentaram mudar o trajeto. Essa atitude levou os agentes a prendê-los antes que a venda da droga fosse consumada. Roberson apresentou a xerox de um documento falso em nome do terceiro-sargento Milton de Andrade Cordeiro, da ativa. ?Todos os documentos, inclusive os do carro, eram bem consistentes?, afirmou o delegado regional executivo da PF, Roberto Prel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.