Militares da FAB lançam 154 rosas brancas em homenagem aos mortos do vôo 1907

Cento e cinqüenta e quatro rosas brancas abençoaram, às 16h48 desta sexta-feira, 6, o local da queda do Boeing 737-800, da Gol. Foi um desejo das famílias das vítimas, atendido "com pesar e ao mesmo tempo satisfação", segundo o tenente-coronel Henry Wender, pela Força Aérea Brasileira (FAB). As flores vieram de Brasília, onde houve na véspera um culto ecumênico em homenagem aos passageiros do vôo 1907.Junto das duas caixas de isopor com as rosas seguiram cartas dos parentes. Num guardanapo de papel, o último recado para Fred: "Temos certeza de que você é a mesma pessoa iluminada e é por isso que chegou a sua hora. Sentimos a sua falta. Que Deus ilumine seu caminho." O helicóptero com as rosas sobrevoou o local do acidente para lançá-las no mesmo horário da queda do avião.Na sexta-feira, mais corpos resgatados da mata chegaram à Fazenda Jarinã, base de apoio para os trabalhos dos militares. No total, 38 corpos já foram encaminhados para Brasília, dos quais 29 foram identificados. Outros 40 corpos aguardam a perícia para ser liberados. O processo tem ocorrido com agilidade.Continuam também as buscas por outras peças importantes do avião, como uma das turbinas e o cilindro de voz da caixa-preta, que registrou os últimos 30 minutos de conversa na cabine dos pilotos do Boeing 737-800.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.