Militares são presos por atirar em travestis

Uma briga com um grupo de travestis, na orla de Copacabana, na zona sul do Rio, levou dois tenentes do Exército à prisão, nesta terça-feira. João Paulo de Andrade Barroso 24 anos, e Márcio Neves Waszac, 25 anos, ambos do Regimento de Cavalaria, foram autuados em flagrante por disparo de arma de fogo e lesão corporal culposa e dolosa. O tumulto começou quando os dois militares perceberam que seus celulares tinham sido furtados.Eles abordaram Antonio da Gama, conhecido como Bianca, com quem tinham estado pouco tempo antes. Waszac deu um soco no rosto do travesti, chamando a atenção de outros quatro que estavam por perto e foram defendê-lo. Para dispersá-los, Barroso atirou para o chão. Os estilhaços da bala feriram Joalício Bispo de Magalhães, a Katilene, no pé esquerdo, e Alessandro Barros Monteiro, a Soraya, na panturrilha esquerda. Todos foram levados para a delegacia. Os celulares não foram encontrados pela polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.