Divulgação/Defesa Civil
Divulgação/Defesa Civil

Minas Gerais registra 7 mortes por causa das chuvas

Seis ocorreram no interior do Estado e uma na capital

Leonardo Augusto, Especial para O Estado

14 Dezembro 2016 | 18h40

BELO HORIZONTE - Subiu para 7 o número de mortos em Minas Gerais por causa das chuvas no Estado. Balanço nesta quarta-feira, 14, pela Defesa Civil, com base no período entre 18 de novembro e esta quarta-feira, aponta que, do total de mortos, seis ocorreram no interior e uma na capital.

Duas das 7 mortes ocorreram nesta quarta em Juiz de Fora, na Zona da Mata. Akeni Vieira Yanakoshi, de 35 anos, e seu filho de 6 anos morreram com o deslizamento de um talude e a queda de uma árvore sobre a casa em que moravam no bairro São Mateus.

Na terça, 13, a estudante Bianca Cristina de Oliveira, de 13 anos, morreu ao ser levada pela enxurrada para debaixo de um veículo durante tempestade no momento em que ia para a escola, no bairro Jardim Felicidade, na região norte de Belo Horizonte.

As outras quatro mortes ocorreram em 18 de novembro no distrito de Nicolândia, em Resplendor, no Vale do Rio Doce. Todas foram levadas pela água durante enchente do córrego Santa Rita, que corta o distrito.

Estradas. O balanço divulgado pela Defesa Civil não computa mortes ocorridas em rodovias estaduais ou nas federais que cortam Minas. Na manhã desta quarta, três adultos e uma criança morreram na queda de um caminhão em cratera aberta na LMG 806, que liga Belo Horizonte a Ribeirão das Neves, na região metropolitana da capital.

Na BR-381, que liga Minas Gerais a São Paulo, informações preliminares da Polícia Rodoviária Federal (PRF) dão conta que seis pessoas morreram em dois engavetamentos ocorridos no sentido São Paulo-Belo Horizonte. O acidente, ocorrido por volta das 15h, provocou 20 quilômetros de congestionamento.

Mais conteúdo sobre:
Minas Gerais Defesa Civil Belo Horizonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.