Minas tem a menor taxa de homicídios do Brasil, mostra estudo

Estado com a segunda maior verba de segurança registrou 7,1 mortes a cada 100 mil pessoas em 2009

Ítalo Reis, Estadão.com.br

14 de dezembro de 2010 | 11h54

SÃO PAULO - O Estado de Minas Gerais teve a menor taxa de homicídios por 100 mil habitantes do Brasil em 2009, segundo dados do Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Foram 7,1 mortes, um recuo de 33,2% em comparação com 2008, quando houve 10,7 assassinatos a cada 100 mil pessoas.

 

Veja também:

linkRio é o Estado que mais cortou gastos com segurança, aponta estudo

linkMortes violentas vitimaram 5 vezes mais homens que mulheres em 2008

 

Pernambuco também registrou queda significativa no índice de homicídios. Segundo o documento, o recuo foi de 12,3% em 2009 ante 2008. Mas não há muito o que se comemorar, pois o Estado é um dos três mais violentos do Brasil. Com 42,6 mortes para cada 100 mil habitantes, ele só perde para o Espírito Santo (57,9/100 mil) e Alagoas (63,3/100 mil) no índice de mortes.

 

Estes números impulsionam a média nacional, de cerca de 25 homicídios para cada 100 mil habitantes. Maranhão, Goiás, Santa Catarina e Rio Grande do Sul foram os outros Estados que tiveram redução no número de assassinatos.

 

Em São Paulo, que recebeu a maior verba na segurança pública do País e tem mais que o dobro de habitantes, o número de assassinatos subiu 2,2%: foi de 10,8 mortes por 100 mil pessoas, em 2008, para 11,0 em 2009 - uma diferença de quase 3 homicídios a mais do que em Minas. No Rio, o indicador ficou em 33,2, leve oscilação de 0,7% em comparação a 2008.

 

O relatório aponta um dado semelhante nos Estados: as mortes causadas por armas de fogo se concentram entre jovens de 15 a 29 anos e o número de homicídios são maiores nessa faixa etária do que no restante da população.

 

"O que mais chama atenção é uma inflexão na tendência de queda dos homicídios cometidos por arma de fogo que vinha se desenhando desde 2000: enquanto a taxa média da população (todas as faixas etárias) manteve-se praticamente estável, verifica-se crescimento nas duas faixas etárias citadas", explica.

 

Investimento. De acordo com o levantamento do anuário, o Acre foi o Estado que teve o maior gasto com segurança pública por habitante do Brasil: foram gastos R$ 402,77 per capita. Amapá, Rondônia e Mato Grosso vêm em seguida, com R$ 399, R$ 376 e R$ 285, respectivamente.

 

Com o menor índice de mortes, Minas gastou R$ 280,51 em segurança por habitante em 2009, um aumento de 12,28% ante o investimento de 2008. O valor está um pouco acima da média nacional de gastos na área, que foi de R$ 238,29 no ano passado.

 

São Paulo destinou R$ 244,47 por habitante, alta de 11,93% em comparação a 2008, enquanto no Rio a despesa ficou em R$ 231,78, queda de 25,22%. A média de investimento repassado e investido pelo governo federal no ano passado foi de R$ 38,05 por pessoa.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.