Minc diz que governo do Rio tem como realocar moradores de áreas de risco

Rio possui espaço para construir cerca de 75 mil moradias, suficiente para moradores de área de risco

Agência Brasil,

08 de junho de 2011 | 07h29

RIO - O secretário estadual Carlos Minc, chefe da pasta do Meio Ambiente do Rio, afirmou, nesta terça-feira, 7, que um levantamento feito pela secretaria aponta que o estado possui áreas para a construção de cerca de 75 mil habitações. O número seria, segundo Minc, suficiente para abrigar moradores realocados de áreas de risco, como encostas e margem de rios.

 

A afirmação foi feita durante palestra na abertura da Semana do Meio Ambiente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O estudo aponta que há 39 terrenos no estado, sendo 14 nas zonas norte e oeste da capital, quatro em Itaboraí e em Itaguaí, na região metropolitana e 20 em municípios da região serrana. O estudo também constatou que as áreas possuem capacidade de abrigo para aproximadamente 350 mil pessoas.

 

O secretário estadual de Habitação, Leonardo Picciani, disse que analisará os próximos passos a serem tomados após o recebimento do estudo completo. "Com relação ao estudo, feito pelo Inea [Instituto Estadual do Ambiente], eu recebi o anúncio feito pelo secretário do Ambiente, pela imprensa. Ele informou que futuramente encaminhará à área de infraestrutura do estado para as secretarias de Habitação e Obras para que se possa fazer uma avaliação técnica".

 

Picciani também informou que o défcit atual do estado do Rio é de 450 mil moradias. E que atualmente os moradores de áreas de risco são realocados em habitações construídas por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.