'Mineirinho' milionário consegue habeas corpus e deixa prisão no Pará

Homem é acusado de fraudar documentos para liberar R$ 2,3 bi retidos numa conta do Banco do Brasil

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2011 | 19h54

SOROCABA - O Tribunal de Justiça do Pará concedeu nesta segunda-feira, 20, habeas corpus liberatório em favor de Francisco Nunes Pereira, de 49 anos, conhecido como "Mineirinho", acusado de fraudar documentos para liberar R$ 2,3 bilhões retidos numa conta do Banco do Brasil.

 

Morador de Tatuí, região de Sorocaba, Pereira ficou conhecido como o "milionário misterioso", em 2007, depois que a Receita Federal constatou que ele tinha uma fortuna na conta bancária. Na época, embora morasse numa casa simples, na periferia da cidade, e rodasse com um carro popular, ele detinha a 16ª maior fortuna pessoal do Brasil.

 

O dinheiro, que alegou ser fruto de negócios com pedras preciosas no exterior, acabou sendo bloqueado. Pereira foi preso em fevereiro deste ano, em Tatuí, acusado de fraude em documentos e formação de quadrilha. Ele teria forjado documentos na tentativa de liberar o dinheiro. Como a fraude foi detectada no Pará, o acusado foi transferido para uma prisão daquele Estado.

 

A Secretaria das Câmaras Criminais Reunidas, de Belém, reconheceu por unanimidade a falta de prova de que "Mineirinho" seria o autor da suposta fraude. Pereira foi posto em liberdade ainda hoje. Segundo familiares, ele deve chegar amanhã à cidade onde reside há 40 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.