Ministério contesta uso de liberação de verba como indicador

O Ministério do Planejamento não vê problemas no desempenho dos projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Em nota ao Estado, o ministério questiona a avaliação dos programas feita com base na liberação de dinheiro público.

Marta Salomon, O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2011 | 00h00

"A execução orçamentária é um indicador limitado para avaliar se uma ação está ou não em andamento", afirma o texto encaminhado pelo Ministério do Planejamento. A nota argumenta que as ações do governo passam por fases preliminares à liberação do dinheiro, como a elaboração de projetos e licitação de obras e serviços, por exemplo.

"Todos os projetos estão em andamento", insiste o ministério. Os projetos novos estariam passando por fases preliminares, antes da contratação de obras e serviços. "Todas as obras de infraestrutura social já estão em fase de seleção ou entrega de projetos."

O Ministério do Planejamento também discorda de que haja concorrência de obras e serviços deixados sem pagamento pelo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

com os projetos novos. "Os

recursos estão garantidos, já que não houve corte no PAC", sustenta a nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.