Ministério criará grupo para coibir clonagem de telefones

O ministro das Comunicações, Miro Teixeira, informou hoje por meio de sua assessoria que vai criar um grupo de trabalho com o objetivo de ?coibir a ação criminosa de clonagem de telefones fixos para fins de narcotráfico?. Segundo nota divulgada pelo ministério, o grupo terá representantes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Polícia Federal e dos ministérios das Comunicações e da Justiça.A criação do grupo será oficializada em portaria interministerial que será editada nos próximos dias. Segundo a nota, a decisão do ministro é resultado de uma série de denúncias recebidas pelo Ministério de que usuários estão sendo induzidos a digitar o número do CPF no teclado do aparelho telefônico com o objetivo de se cadastrar junto à operadora.Segundo as denúncias, logo depois de fazer o suposto cadastro o usuário recebe uma ligação de ameaça com a informação de que seu telefone está clonado e será usado, por prazo indeterminado, em comunicação criminosa. A ameaça, de acordo com o ministério, vem acompanhada da confirmação dos dados pessoais da vítima e com a ordem de que nenhuma denúncia seja feita.?O cidadão precisa estar ciente de que o Estado está agindo para reprimir práticas criminosas e prender os responsáveis nos termos da lei?, disse o ministro, na nota. Até o momento, os relatos referem-se ao estado do Rio de Janeiro.

Agencia Estado,

09 de abril de 2003 | 19h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.