Uarlen Valério / O Tempo
Uarlen Valério / O Tempo

Ministério interdita Cervejaria Backer e determina apreensão de produtos em mercados

Pasta diz que medida foi tomada diante do risco iminente à saúde pública. Análises laboratoriais seguem sendo realizadas nas amostras coletadas pela equipe de fiscalização. Empresa afirma que ainda não foi notificada

Leonardo Augusto, Especial para o Estado

10 de janeiro de 2020 | 19h26
Atualizado 14 de janeiro de 2020 | 16h25

BELO HORIZONTE - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento fechou nesta sexta-feira, 10, a Cervejaria Backer, na capital mineira, empresa responsável pela produção da marca Belorizontina. Laudo da Polícia Civil divulgado nesta quinta-feira, 9, aponta a presença da substância dietilenoglicol em garrafas da bebida consumida provavelmente, segundo as investigações, na segunda quinzena de dezembro no bairro Buritis, região oeste da cidade. Em nota, a força-tarefa que investiga os casos de contaminação afirma que o número de vítimas subiu para dez, com um morto e nove pessoas internadas.

 O Ministério da Agricultura afirma que a decisão de fechamento da fábrica foi tomada "diante do risco iminente à saúde pública". A pasta afirma que a medida foi tomada de forma "cautelar" e que "foram determinadas ações de fiscalização para a apreensão dos produtos que ainda se encontram no mercado". As garrafas contaminadas pertencem aos lotes L1 1348 e L2 1348.

Conforme o ministério, "auditores fiscais federais agropecuários - nas especialidades farmacêutica, química e de engenharia agronômica - prosseguem apurando as circunstâncias em que ocorreram a contaminação verificada pelas autoridades policiais nos lotes indicados, a fim de dar pleno esclarecimento à população dos fatos".

A nota diz ainda que "análises laboratoriais seguem sendo realizadas nas amostras coletadas pela equipe de fiscalização das superintendências federais de agricultura". Segundo o ministério, "mais de 16 mil litros de cervejas foram apreendidos cautelarmente".

Mais vítimas

A força-tarefa que investiga as causas da contaminação da cerveja informou no início da noite de hoje que o número de vítimas é de 10, com uma morte e nove internações. Os dois novos casos também seriam de Belo Horizonte. Os números informados anteriormente eram de uma morte e sete internações. Integrantes da força-tarefa não informaram quando houve as novas notificações. Até o momento foram concluídos exames em três pacientes internados. Nos três casos houve a confirmação para o dietilenoglicol. Entenda os efeitos da substância no corpo humano

Substância não integra processo de fabricação, diz Backer

Em nota divulgada nesta sexta, 10, à noite, a Backer, informa que, até o momento, não foi notificada a respeito de nenhuma interdição em sua fábrica por parte do Ministério da Agricultura. Ainda de acordo com o texto, "a empresa afirma que permanece à disposição das autoridades e que planeja interromper suas atividades momentaneamente neste sábado, 11, para realizar uma vistoria completa em seus processos de produção."

Em nota divulgada mais cedo, a Backer afirmou que "a substância dietilenoglicol não faz parte de nenhuma etapa do processo de fabricação de seus produtos, inclusive da Belorizontina".  A cervejaria diz que os lotes L1-1348 e L2-1348, aos quais pertenciam as cervejas contaminadas, "serão recolhidos diretamente nos domicílios dos consumidores, em horário agendado". Para isso, conforme a empresa, "os clientes devem ligar para o telefone (31) 99536-4042, exclusivo para esse procedimento". 

As notas afirmam ainda que o recolhimento das cervejas ocorrerá mesmo que as garrafas não sejam dos lotes dois quais saíram a o produto contaminado. "Para o bem-estar e conforto de seus clientes, comunica que irá recolher, caso seja de interesse do consumidor, outros lotes da cerveja Belorizontina, mesmo que não sejam os lotes L1-1348 e L2-1348, a partir de segunda-feira, 13 de janeiro. Neste caso, o cliente, de porte do cupom fiscal da compra, deve procurar o estabelecimento comercial onde adquiriu o produto e fazer a devolução. O cliente será ressarcido no momento da devolução", diz o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.