Ministério Público denuncia 47 envolvidos na Operação João de Barro

MINAS GERAIS

, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2010 | 00h00

O Ministério Público Federal em Governador Valadares (MG) informou ontem que ofereceu denúncia contra 47 pessoas por crimes como corrupção ativa e passiva, tráfico de influência, formação de quadrilha e fraude à licitação. Todos são acusados formalmente de envolvimento com um esquema de desvio de verbas públicas, alvo da Operação João de Barro, da Polícia Federal, em junho de 2008. O principal denunciado é o empresário e lobista João Carlos de Carvalho, apontado como o elo entre parlamentares e empresários. Pelo menos sete deputados federais foram investigados. João Magalhães (PMDB) é acusado de comandar o esquema no Congresso. De acordo com o Ministério Público de Governador Valadares, o modo de atuação era muito semelhante ao praticado pela chamada Máfia dos Sanguessugas. Os parlamentares faziam contato direto com os prefeitos beneficiários das emendas e indicavam as empresas que participariam das licitações e quais seriam as vencedoras. A movimentação financeira dos convênios investigados teriam ultrapassado o valor de R$ 2,7 bilhões. Procurados pela reportagem para comentar o caso, Magalhães e Carvalho não foram localizados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.